30/11/2009

Sumário: Por uma geografia nova


POR UMA GEOGRAFIA NOVA : Da Crítica da Geografia a uma Geografia Crítica

Autor: Milton Santos

Introdução.
Uma Geografia Nova?.
Um Projeto Ambicioso.
Um Risco Necessário.

Primeira Parte

A CRÍTICA DA GEOGRAFIA
I. OS FUNDADORES: AS PRETENSÕES CIENTÍFICAS.
A Ideologia da Geografia
A Geografia Colonial.
O Determinismo e Suas Seqüelas
A Geografia Cultural e os Gêneros de Vida
A Falência da Geografia Clássica
Os Perigos da Analogia.
Possibilismo versus quê?
2. A HERANÇA FILOSÓFICA
As Fontes.
O Hegelianismo e o Marxismo
De Descartes ao Ecletismo Total
3. A RENOVAÇÃO DO APÓS- GUERRA: “A NEW GEOGRAPHY”
4. A GEOGRAFIA QUANTITATIVA
A Quantificação em Geografia
Linearidade, Colinearidade, Et coetera
Medir para Refletir ou Refletir para Medir?
Os Problemas da Abordagem Quantitativa
Paradigma ou Método?
O Pecado Maior
5. MODELOS E SISTEMAS: OS ECOSSISTEMAS
A Análise de Sistemas
Os Ecossistemas
Sistemas e Quantificação
Os Modelos em Geografia
Construção e Eficácia dos Modelos
6. A GEOGRAFIA DA PERCEPÇÃO E DO COMPORTAMENTO.
A Percepção: Sujeito versus Objeto?
Comportamento ou Práxis?
7. O TRIUNFO DO FORMALISMO E DA IDEOLOGIA
Geografia, Planejamento, Utilitarismo
O Reino do Empirismo
A Exclusão do Movimento Social.
A Tara Ideológica.
8. O BALANÇO DA CRISE: A GEOGRAFIA VIÚVA DO ESPAÇO
A Reprodução do Saber
O Empiricismo Abstrato.
Do Imperialismo à Perda do Objeto
O Espaço Pulverizado
A Geografia, Viúva do Espaço.
Lições e Promessas da Crise.

Segunda Parte

GEOGRAFIA, SOCIEDADE, ESPAÇO
9. UMA NOVA INTERDISCIPLINARIDADE
O Isolamento da Geografia.
Vantagens da Interdisciplinaridade
Geografia e Interdisciplinaridade
As Etapas da Interdisciplinaridade
A Necessidade de uma Definição do Objeto da Geografia.
I0. UMA TENTATIVA DE DEFINIÇÃO DO ESPAÇO
Definir a Geografia ou o Espaço?
O Problema da Autonomia e das Categorias Ana líticas
Objeto Científico e Teorização
Um Esforço de Definição do Espaço
II. O ESPAÇO: MERO REFLEXO DA SOCIEDADE OU FATO SOCIAL?
Uma Forma de Percepção?
Hegel e o Espaço
O Espaço, um Reflexo?
Um Fato Social?
I2. O ESPAÇO, UM FATO?
A Reprodução do Padrão Espacial
A Mobilidade do Capital é Relativa
O Espaço na Totalidade Social
O Papel das Rugosidades.
O ESPAÇO COMO INSTÂNCIA SOCIAL
Uma Estrutura Social como as Outras?
Uma Estrutura Subordinada?
A Especificidade do Espaço
O Espaço como História e Estrutura.

Terceira parte

POR UMA GEOGRAFIA CRÍTICA
I4. EM BUSCA DE UM PARADIGMA
Toda teoria é Revolucionária
Paradigma e Ideologia.
A Natureza como Paradigma
I5. O ESPAÇO TOTAL DE NOSSOS DIAS
Produção e Espaço
A Universalização da Economia e do Espaço
Universalização Perversa e Papel da Estrutura Interna
Totalidade e Dialética do Espaço
Instrumentos de Trabalho e Espaço
Distribuição da Sociedade Total no Espaço
Estrutura, processo, Função, Forma
I6. ESTADO E ESPAÇO: O ESTADO-NAÇÃO COMO UNIDADE
GEOGRÁFICA DE ESTUDO.
As novas Funções do Estado
O Estado nos países Subdesenvolvidos.
O Estado Intermediário entre as Forças Externas e Internas
Ação do Estado sobre os Subespaços
O Estado e as Transformações Espaciais
Espaço e Território
I7. AS NOÇÕES DE TOTALIDADE, DE FORMAÇÃO SOCIAL E A
RENOVAÇÃO DA GEOGRAFIA
Totalidade e Espaço
Formação Social e Espaço.
A Noção de Formação Social.
Formação Social e Realidade nacional
Formação Social e Renovação da Geografia
I8. A NOÇÃO DE TEMPO NOS ESTUDOS GEOGRAFICOS
A Difusão de Inovações
O Enfoque Espaço-Temporal e o Tempo Empírico
A Necessidade de uma Periodização
O Espaço como Acumulação Desigual de Tempos
A Noção de “Tempo Espacial”
As Rugosidades do Espaço.

Conclusão: A GEOGRAFIA E O FUTURO DO HOMEM
Espaço-Mercadoria e Geografia de Classes
Por uma Geografia Liberada
Causa e Contexto.
O Joio e o Trigo: A Separação do ideológico
Espaço e Liberação.
Bibliografia

Nenhum comentário: