1 de mai de 2012

Dia Internacional do Trabalhador

 1º de Maio 

Em primeiro de maio de 1886, no bairro de Heymarket, em Chicago - EUA, milhares de trabalhadores foram as ruas lutarem por melhores condições de trabalho, dentre elas, pela redução da jornada para 8 horas semanais. A manifestação foi acompanhada por uma grande greve geral e dias sucessivos de luta e confronto com a polícia, resultando na morte de 12 trabalhadores e o julgamento e de alguns dos líderes do movimento. 

Em 9 de outubro foi dada a sentença: Parsons, Engel, Fischer, Lingg, Spies foram condenados à morte na forca; Fieldem e Schwab, à prisão perpétua e Neeb a quinze anos de prisão.

Em 1889, pela realização da Segunda Internacional Socialista o 1º de maio ficou definido como sendo o Dia Internacional do Trabalhador.

E neste dia não celebramos o trabalho - menos ainda a este trabalho alienante que diariamente realizamos - nem mesmo ao trabalhador - este sujeito amorfo e apolitico que tentam nos vernder - mas sim a luta dos trabalhadores. Estes sim, sujeitos políticos que realizam um trabalho transformador. Trabalho que é "antes de tudo um processo entre o homem e a natureza, um processo no qual o homem por sua atividade realiza, regula e controla suas trocas com a natureza. Ele põe em movimento as forças naturais que pertencem à sua natureza corporal, braços e pernas, cabeças e mãos, para se apropriar das substanciais naturais sob uma forma utilizável para sua própria vida. Agindo assim, por seus movimentos sobre a natureza exterior e transformando-a, o homem transforma ao mesmo tempo a sua natureza” (K. Marx).

Sendo assim: "Viva nós, trabalhadores e sua luta!"


Trechos das falas de Spies e Parsons quando de seu julgamento:


"Se com o nosso enforcamento vocês pensam em destruir o movimento operário - este movimento de milhões de seres humilhados, que sofrem na pobreza e na miséria, esperam a redenção – se esta é sua opinião, enforquem-nos. Aqui terão apagado uma faísca, mas lá e acolá, atrás e na frente de vocês, em todas as partes, as chamas crescerão. É um fogo subterrâneo e vocês não poderão apagá-lo!" (Spies)

"Arrebenta a tua necessidade e o teu medo de ser escravo, o pão é a liberdade, a liberdade é o pão".

"A propriedade das máquinas como privilégio de uns poucos é o que combatemos, o monopólio das mesmas, eis aquilo contra o que lutamos. Nós desejamos que todas as forças da natureza, que todas as forças sociais, que essa força gigantesca, produto do trabalho e da inteligência das gerações passadas, sejam postas à disposição do homem, submetidas ao homem para sempre. Este e não outro é o objetivo do socialismo" (Parson)

Um comentário:

MAURO BECHMAN disse...

Parabéns professora pela postagem sempre inteligente e objetiva. De fato, um dia de reflexão profunda sobre a condição do ser humano no mundo.

Saudações Amazônicas a Todos os Trabalhadores e Trabalhadoras do Mundo!